Um Tesão Em Construção.

joe_dallesandro_Press_LJ_BW

Um tempo atrás eu assisti um documentário. Que era interessante porque dava uma ideia de como o homoerotismo já enfrentou problemas pra achar um lugar ao sol. Esse documentário recontava de forma ficcional e através de depoimentos os bastidores de uma revista de fisiculturismo dos anos 60/70. Essas revistas de fisiculturismo foram percursoras das revistas de nudez masculina e foi dali que se organizaram os primeiros filmes eróticos gays de forma profissional. O nome do filme Beefcake era uma alusão aos corpos dos rapazes semi desnudos que apareciam nesta e em outras revistas. Os depoimentos eram com os criadores e modelos que posam pra essas revistas. Nenhum desses modelos se declararam gays. Mesmo admitindo que transaram com outros caras durante as fotos e festinhas que rolam durante as fotos. Um dos modelos que deu entrevista foi  o mítico Joe Dallesandro que era um michê de rua até ser descoberto por  Andy Wharhol e estrelar alguns de seus filmes nos anos 70. Aqui tem vídeo pra quem quiser conferir na integra o instrumento de trabalho do Joe Dallessandro.

O documentário testifica que no  passado essa era uma atividade semi criminosa, marginal e underground e os fotógrafos e produtores tinham que se contentar com basicamente os restos do sonho americano de juventude . Hoje os produtores de sites como Corbin Fisher e Sean Cody não tem problema algum em atrair belos e bem nutridos rapazes de boas famílias do interior para suas picantes produções.  os rapazes vem em busca não mais de dinheiro para matar a fome mas da oportunidade de fama e sucesso.

Mas persiste um curioso dado. Boa parte dos rapazes não veem problema algum em transar com outras rapazes por alguns trocados. Mas não se declaram gays.

Dai a gente saca que o imaginário erótico homossexual é heteronormativo desde de antes desse imaginário existir de fato. E que sempre não parecer gay era e é uma característica desejável. Quais chances a bichinha afeminada de unhas pintadas e cabelo alisado tem contra décadas de construção social dizendo que não existe espaço pra ela no imaginário afetivo, sexual e sexual entre gays que descobriram e exercitaram boa parte da própria sexualidade tendo esse tipo de material como fonte de inspiração ?

Então você até pode dizer que não fica com  rapazes afeminados por gosto. Mas o seu gosto vem sendo construído de forma heteronormativa desde os anos 50. E  a regra sempre foi eliminar qualquer traço de feminino no ideário homoerótico masculino. Então o machismo também foi sutilmente incluído no seu gosto.

desculpa te informar.

Anúncios

2 comments on “Um Tesão Em Construção.

  1. às vezes eu vejo as pessoas falando: “mas isso é construção social” e eu penso: mas, ué, como assim “isso” ? falar “isso” parece indicar que tem outras coisas que não são. ser humano é uma construção social. não tem nada natural. nem mesmo o tesão. ou especialmente o tesão. ou sem adjetivar, apenas: o tesão também não. nem como ele é forjado, nem como ele é vivido e nem como ele é nomeado. Por isso é tão legal achar um texto como o seu, que vai descascando com coragem.

    adorei, sou tiete.

    • eu pensei em escrever como esse surto de gays descontruidos é bonito no facebook mas tem pouca serventia na pratica. mas primeiro precisa dizer como que foi montada a parada. eu vou continuar nesse tema. obvio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s