Central do Textão Feat Sdds Orkut.

size_460_16_9_orkut-buyukkokten

 

 

A rede do turco foi a entrada dos brasileiros nas redes sociais. Era tão chique que só quem tinha convite que conseguia entrar. E era bem limitada também. 10 fotos no perfil e cabou-se.

Os brasileiros, seres sociais natos, rapidamente dominaram a rede. E a gente decobriu que dava pra fazer perfil fake. Que servia basicamente pra gente xeretar a vida alheia e participar de comunidades duvidosas que não cabiam no perfil oficial. Meio que sem ninguém saber nascia ai a origem dos comentaristas de portal e o esgoto a ceu aberto que empestiou a net brasileira: gente de gosto duvidoso que cobertos pelo anonimato vociferam coisas que não tem coragem de falar publicamente.

Mas eu to me adiantando.

Antes do Orkut ser lançado em 2004 já existia uma rede social. Não era chamada assim e ninguém sabia que aquilo que a gente fazia era uma rede social. Mas existia. O nome era caixa de comentários dos blogs. A net brasileira era uma selva. Todo mundo anonimo, distantes e desconhecidos. Unidos unicamente pelas olheiras por passar as madrugadas pendurados na péssima conexão discada do IG. Os portais de noticias não existiam. E a única forma que as pessoas se comunicavam eram por e-mails. E pra conseguir o e-mail das pessoas você tinha que ou pegar em um chat uol da vida ou pegar nos comentários de algum blog. Essa rede social informal foi aproximando pessoas geograficamente longe mas emocionalmente e ideologicamente próximas.

Lembra dos convites pro orkut ? A maioria deles foi distribuído atras de caixa de comentários de blogs e lista de e-mails de leitores de blogs.

No orkut, assim como nos blogs, havia uma certa separação entre publico e privado, entre você ser contador de dia e crossdesser a noite. As comunidades do orkut separam as pessoas por interesses. Você ate podia ter seu chefe adicionado. Mas você não precisava ver nenhuma das postagens que ele fazia na comunidade ODEIO NORDESTINOS. Pq você só ficava sabendo se entrasse la.

O Facebook matou isso. Misturou o publico e o privado. Colocou você, seu chefe, seu subordinado e sua tia-avó viciada em novelas e remédios no mesmo lugar. E aquelas pessoas que a gente só conhecia de vista, socialmente e sua  turma do ensino fundamental sesc-1992 no mesmo quadrado.

Deu-se a merda.

A Central do Textão tenta nadar um pouco contra essa maré. Tenta recolocar nos eixos uma cumplicidade e uma prosa fora do quintal do mark zuza. Que não entende muito bem de relacionamentos interpessoais (como mostra o filme A Rede Social ) e como todo virjão não sabe se portar quando vê um mamilo.

A proposta da Central do Textão, liderada pela Tina, é “um ponto de encontro de blogueiros, das antigas e estreantes, com textões ou nem tanto, que podem ser feministas, literários, de resenhas, diarinho, ter mamilos, ser de esquerda, de direita, ter/ser poesia, cada um no seu canto mas todo mundo junto, aqui, tentando reavivar o gosto e reencontrar o espaço da leitura que não é efêmera, sem regras a não ser as de quem escreve.”

Bem vindo de volta no meu cantinho. O espaço é pequeno, a escrita não é das melhores, o coração é cheio de ressentimentos e amarguras, mas aqui pode mamilos.

CHUPA ZUZA.

Anúncios

24 comments on “Central do Textão Feat Sdds Orkut.

    • pra mim o facebook é o espaço pra crianças acolchoado e climatizado dos shoppings: crianças fazendo exatamente aquilo que os adultos acham que é seguro e educativo sem nunca se perguntar se é mesmo aquilo que as crianças querem fazer. a brincadeira no quintal as proprias crianças decidem TUDO: quem brinca, quem nao brinca, as regras, o que pode e o que nao pode. AMO BRINCADEIRAS DE RUA.

  1. estou ~decepcionada ~ que não tem um topless seu ilustrando o post. A Juliana foi bem específica: precisamos de fotos pra fazer a galeria da Central ficar toda garbosa e bonitona.

    E, olha, eu tinha lindas comunidades no orkut.

  2. THIS! O Facebook é criado à imagem e semelhança de Zuckerberg. Se tiver oportunidade leia “O Efeito Facebook” (se é que já não leu rsrsrs). Não é o livro que deu origem ao filme e dá bem o pano de fundo para boa parte dos problemas da rede azul. Viva o renascimento dos blogues 🙂

    • não li não. vou dar uma olhada. pra mim zuza é bem mais filho da puta que o filme mostrou. e olha que o filme não faz muita cerimonia: zuza é um bostão com QI alto.

  3. Hahaha virjão que não sabe se portar quando vê mamilos.
    Francamente, Zucka.
    E achei tão boa a reflexão sobre a bagunça feita por ele, e como isso bagunçou nossa vida social.
    Acho que não foi tudo ruim: no Orkut, justamente por conta das separações, não dava pra um monte de coisas.
    Mas cê tem um ponto.
    Aguardo os nudes pra animar a CT.

  4. “Mas você não precisava ver nenhuma das postagens que ele fazia […] Pq você só ficava sabendo se entrasse la. O Facebook matou isso.” Sim, sim, sim! Só me pergunto se é melhor não saber o que a pessoa pensa/é e ter paz de espírito ou ver as atrocidades que ela posta e ser ‘alertada’ sobre o tipo de pessoa que convivemos. Independente da resposta, sempre preferi o Orkut.
    Obs: Moço, te sigo no twitter faz tempo, gosto das coisas que você escreve por lá mas nunca interagi. Acho que o clima #sddsorkut do post me deixou com vontade de fazer contato e to aqui comentando com minha conta ‘anônima’ do wordpress, em homeagem a era pré-facebook…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s