O Prato de Cada Um.

fettuccine_cogumelos_01

Desde que eu comecei a trabalhar como garçom uma coisa sempre me chamou a atenção: apesar de trabalhar com comida quem trabalha em restaurante geralmente come mal muito mal. E eu já trabalhei em restaurantes premiados e citados como referencia em culinária. Logo que eu comecei eu achava que isso acontecia porque a gente nunca come a mesma comida que é servida aos clientes. é sempre uma comida diferente, inferior e insossa. O mais interessante é que em geral a mesma pessoa que cozinhava pros clientes cozinhava também pros funcionários. As vezes coisas bem mais intrigantes aconteciam: eu trabalhei num lugar que servia uma comida natural e orgânica que era maravilhosa. A nossa comida não tinha nada de natural e nem orgânica era só intragável mesmo pra quem trabalhava no turno da noite. Já quem trabalhava no turno da manhã servia pros clientes um cardápio um pouco modificado da mesma comida natural e orgânica mas que não era servida a noite. Em compensação os funcionários comiam como reis. A mesma coisa insalobra que era servida a noite ganhava tempero, cheiros e sabores no turno da manhã. A diferença se chamava Juliana a cozinheira do dia. Que na hora de cozinhar usava o mesmo talento nas panelas tanto pros clientes quanto pro seus colegas. A Chistiane que cozinhava a noite era infinitamente mais talentosa na cozinha que a Juliana. Mas na hora de grelhar o bife de figado ( se vc detesta bife de figado te recomendo nunca jamais trabalhar em restaurantes. porque 90% da sua comida vai ser bife de figado ) pros funcionários e pra si mesma o seu talento culinário misteriosamente desaparecia.

Reconheço que não dá pra ser muito criativo tendo só figado, frango, macarrão, arroz e feijão pra se virar com as panelas. Concordo fica difícil mesmo. Mas o problema acho que talvez seja outro. Vou te explicar: Eu costumo trabalhar com eventos em cerimoniais.  Festas badaladas e caras. E os funcionários em geral se espremem debaixo de alguma escada com um prato de plastico com um pouco de arroz cru, feijão queimado e uma coxa de frango as 17 :00 pra jantar, e se você não conseguir roubar um salgadinho pra comer escondido dentro do banheiro vai ter que se virar com isso até a festa acabar lá pelas duas da manhã. Com um sorriso no rosto até o fim porque o clima de festa não pode parar. Sábado eu trabalhei num casamento onde seria servido um jantar logo apos a recepção. Num desses milagres que as vezes acontecem foi nos dito que teríamos cada um dos funcionários direito a escolher um dos pratos pra jantar quando a festa terminasse. Eram três opções: um risoto de camarão, um ravioli de pera e brie e um fettuccine alfredo com file. Durante a recepção os convidados rasgavam elogios aos pratos. Cada um mais saboroso e bem preparado que o outro. A barriga   gemia de fome e expectativa. Escolhi o fettuccine alfredo. Me foi servido uma bolota de macarrão com uma água branca e um pedaço de carne que conseguia ser queimado, cru e congelado  ao mesmo tempo. Todo mundo chocado. Mas não era aquilo que os clientes tinham comido !!!  A chiadeira foi geral. A cozinheira que tinha preparado a refeição dos clientes e funcionários se sentou conosco com a mesma bolota dura de macarrão dentro do prato. Era uma baixinha enfezada com cara de poucos amigos e barraqueira como só uma cozinheira de self service sabe ser.  Diante da reclamação geral ela se justificou: ” Não estou aqui pra gastar meu tempo cozinhando pra funcionário folgado, vcs tinham era que dar graças a deus. quem não quiser que fique com fome ” abaixou a cabeça e engoliu a mesma gororoba insalobra que tinha feito pra nós.

Não foi a primeira vez que eu ouvi essa justificava. Tampouco foi a primeira vez que eu vi uma mulher de imenso talento culinário queimar e estragar uma comida que ela mesmo comeria justificando não ter tempo pra gastar com funcionários folgados. Funcionário tem mais é que se ferrar mesmo. Então era esse o problema.

Ao comer aquele bife queimado, cru e congelado eu me dei conta de seria aquela mulher que se sentaria com os patrões pra negociar que direitos trabalhistas ela teria direito nas ~~ reformas trabalhistas ~~ do governo golpista . Seria aquela mulher que deveria negociar se é justo ela trabalhar 8 ou 12 horas. Que igualdade de condições aquela mulher teria numa mesa de negociação com as pessoas do salão abaixo.

Ficou um travo amargo na minha boca. E não era o bife queimado, cru e congelado.

Anúncios

2 comments on “O Prato de Cada Um.

  1. Tô sem palavras pra comentar esse texto. Parece clichê e talvez seja. Estou me sentindo idiota alienada, porque não imaginava isso, embora saiba que geralmente garçons são proibidos de comer durante as festas e tal, nunca parei pra pensar que nem depois podiam comer a mesma comida. Que ótimo texto e que conclusão perfeita. Obrigada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s